jump to navigation

Instructions – Neil Gaiman Monday, March 31, 2008

Posted by Ágata in Citações, Poesia.
add a comment

What to do if you find yourself lost inside of a fairy tale:

“Touch the wooden gate in the wall you never saw before.
Say “please” before you open the latch,
go through, walk down the path.
A red metal imp hangs from the green-painted front door, as a knocker,
do not touch it; it will bite your fingers.

Walk through the house. Take nothing. Eat nothing.
However, if any creature tells you that it hungers,
feed it.
If it tells you that it is dirty,
clean it.
If it cries to you that it hurts,
if you can,
ease its pain.

From the back garden you will be able to see the wild wood.
The deep well you walk past leads to Winter’s realm;
there is another land at the bottom of it.
If you turn around here,
you can walk back, safely;
you will lose no face. I will think no less of you.

Once through the garden you will be in the wood.
The trees are old. Eyes peer from the under-growth.
Beneath a twisted oak sits an old woman. She may ask for something;
give it to her. She
will point the way to the castle.

Inside it are three princesses.
Do not trust the youngest. Walk on.
In the clearing beyond the castle the twelve months sit about a fire,
warming their feet, exchanging tales.
They may do favors for you, if you are polite.
You may pick strawberries in December’s frost.

Trust the wolves, but do not tell them where you are going.
The river can be crossed by the ferry. The ferry-man will take you.

(The answer to his question is this:
If he hands the oar to his passenger, he will be free to
leave the boat.
Only tell him this from a safe distance.)

If an eagle gives you a feather, keep it safe.
Remember: that giants sleep too soundly; that witches are often betrayed by their appetites;
dragons have one soft spot, somewhere, always;
hearts can be well-hidden, and you betray them with your tongue.

Do not be jealous of your sister.
Know that diamonds and roses
are as uncomfortable when they tumble from one’s lips as toads and frogs: colder, too, and sharper, and they cut.

Remember your name.

Do not lose hope — what you seek will be found.
Trust ghosts. Trust those that you have helped to help you in their turn.
Trust dreams.
Trust your heart, and trust your story.

When you come back, return the way you came.
Favors will be returned, debts will be repaid.
Do not forget your manners.

Do not look back.

Ride the wise eagle (you shall not fall).
Ride the silver fish (you will not drown).
Ride the grey wolf (hold tightly to his fur).

There is a worm at the heart of the tower; that is
why it will not stand.

When you reach the little house, the place your
journey started,
you will recognize it, although it will seem much smaller than you remember.
Walk up the path, and through the garden gate you never saw before but once.

And then go home. Or make a home.

And rest.”

***

Aos que não lêem muito bem em inglês: aqui tem uma tradução legal do poema :)

Aos que querem ver o Neil Gaiman lendo o poema com aquele sotaque britânico tãããããoooooo lindo (tiete, eu?), tembém tem aqui

Advertisements

Indiretas Sunday, March 30, 2008

Posted by Ágata in "Querido Diário".
1 comment so far

Cinco minutos depois de eu botar a roupa pra lavar ontem, começou a chover torrencialmente. Tá bom, tá bom, eu entendi que tenho que lavar roupa mais freqüentemente, poxa.

E o assunto aleatório nada a ver: meu ego anda crescendo perigosamente… hahahahaha

Porque hoje é sábado* Saturday, March 29, 2008

Posted by Ágata in Poesia, Textos aleatórios.
1 comment so far

C1: Então você fica rica em 5 anos, e em seis anos a gente casa, tá?

A: Ah, mas só se souber cozinhar… tem que saber fazer pelo menos um arroz e feijão!

C1 e C2: Eu sei fazer arroz!

C1: Ei, não vem não! Eu pedi primeiro…

******

* Vinicius de Morais, Dia da Criação (trecho)

Neste momento há um casamento
Porque hoje é sábado
Hoje há um divórcio e um violamento
Porque hoje é sábado
(…)
Há um renovar-se de esperanças
Porque hoje é sábado
Há uma profunda discordância
Porque hoje é sábado
(…)
Há uma impassível lua cheia
Porque hoje é sábado
Há damas de todas as classes
Porque hoje é sábado
Umas difíceis, outras fáceis
Porque hoje é sábado
Há um beber e um dar sem conta
Porque hoje é sábado
Há uma infeliz que vai de tonta
Porque hoje é sábado
(…)
E dando os trâmites por findos
Porque hoje é sábado

Há a perspectiva do domingo
Porque hoje é sábado

Há dias e dias Wednesday, March 26, 2008

Posted by Ágata in Pensando..., Textos aleatórios.
1 comment so far

Existem dias em que acordar é fácil, o banho de manhã é gostoso, o cabelo seca naturalmente e fica bonito, não há pressa, tudo dá certo, e no ônibus a caminho do trabalho, bem em cima do viaduto que liga a Praça da Bandeira à Presidente Vargas eu olho pra direita, vejo o Cristo Redentor e dou um sorriso, porquê é impossível não sorrir.

E existem dias como hoje.

Em que dá vontade de morrer na cama e só ser chamada na missa de sétimo dia, em que as vozes mais bem-intencionadas irritam, em que dá vontade de jogar coisas da varanda – jogar esse pc velho, leia-se -, o dinheiro acaba e a gente não sabe pra onde foi, dá vontade de esquecer tudo e ir pra longe, em algum lugar desligado sem ninguém pra torrar a paciência. Dias em que o Cristo está cercado de nuvens.

Existem dias e dias, e hoje foi um dos que desanimam.

Mas também existe sempre o amanhã.

E vocês não tem idéia de quanto é bom pra mim pensar que sempre existe o amanhã :)

Já não parece mais novidade Tuesday, March 25, 2008

Posted by Ágata in "Querido Diário".
3 comments

Porque eu já passei o dia inteirinho olhando pra ela. E ainda não me acostumei a pensar que agora sempre que eu olhar pro pulso direito as cinco letras gregas vão estar lá, formando meu nome. Estão, sabe. Quando eu digito, e trabalho, o primeiro “a” de “ágata” aparece no canto, dá pra ver. Está lá. Eu fiz. =)

Era a tatuagem que eu sempre quis fazer, que significa pra mim. Não estava planejada pra agora, mas acabei indo passear em São Paulo, conhecer o estúdio onde o Liz fez a dele, e a minha quase que não foi, mas foi. Eu quase desisti antes de ir, e eu fiquei com medinho daquele barulho de máquina de dentista chegando perto de mim, mas o Xande e Liz ficaram lá rindo das minhas caretas quando doia (o “g” doeu, e o “t” não acabava mais), e agora está aqui. Formando casquinha já. Ficou muito bom :D

Algo em mim tinha que ser eterno, não é? Vamos ver o que mais vai ficar em mim pra sempre, porque está tudo nas minhas mãos. Hein? ;)

agathé

Zé Ramalho – Pedras que Cantam Tuesday, March 25, 2008

Posted by Ágata in Música.
add a comment

O tempo duro no ambiente
O tempo escuro na memória
O tempo é quente e o dragão é voraz
Vamos embora de repente
Vamos embora sem demora
Vamos pra frente que pra trás não dá mais

Pra ser feliz num lugar
Pra sorrir e cantar
Tanta coisa a gente inventa
Mas no dia que a poesia se arrebenta
É que as pedras vão rolar

;)

Coisas de Sampa das quais eu não sinto falta Monday, March 24, 2008

Posted by Ágata in Pensando....
add a comment
  • O trânsito
  • A poluição
  • O trânsito
  • A Mooca
  • O frio
  • O trânsito
  • O céu acinzentado
  • A falta de morros
  • Eu já falei do trânsito?

O bom de blogs é que quando não há o que dizer, sempre há algo que postar :D Thursday, March 20, 2008

Posted by Ágata in Textos aleatórios.
2 comments

Se eu fosse

… um poema: no momento Fadiga, da Cecília Meireles, ou Alone With Everybody, do Bukowski.

… uma música: Revelations, Iron Maiden.

… um orgão: coração

… um instrumento: flauta

… um objeto: livro

… um quadro: não sei

… uma arma: faca

… um lugar: Este

… um planeta: Vênus

… um sentimento: todos

… um pensamento: todos

… um personagem de livro: Amory Blaine

… um livro: serve um conto? Algumas Tardes Valem Por Todas as Outras, Marcelo Rubens Paiva

… um bicho: gato

… um signo: gêmeos

… um mito: do amor eterno

… um herói: Batman

… um martir retardado: todos?

… um martir genial: ?

… um fonema: a

… um carro: =P

… um país: Brasil

… uma cidade: Rio de Janeiro

… uma pessoa: minha irmã

… um compositor: Tom e Vinicius

… um jogo: Pimball

… um refrigerante: Coca-cola

… um professor: Martha Alkimin

Devidamente roubado de http://havetohavesomefun.zip.net/ ;D

Rainmaker – Iron Maiden Thursday, March 20, 2008

Posted by Ágata in Música.
add a comment

And I know of the pain that you feel the same as me
And I dream of the rain as it falls upon the leaves
And the cracks in our lives like the cracks upon the ground
They are sealed and are now washed away

You tell me we can start the rain
You tell me that we all can change
You tell me we can find something to wash the tears away
You tell me we can start the rain
You tell me that we all can change
You tell me we can find something to wash the tears…..

Hoje estou feliz :) Monday, March 17, 2008

Posted by Ágata in "Querido Diário", Citações.
1 comment so far

Principalmente porque fiz uma visita na barraquinha do Domingos na porta do metro Carioca e encontrei Fêmeas do Marcelo Rubens Paiva, por 5 pratas! Aproveitei e comprei Bala da Agulha, do Rubens Paiva também… fez o passeio pelos prédios do centro ficar mais feliz :)

E tem músicas boas e novas – como é que eu nunca tinha prestado tanta atenção na letra de Wildest Dreams antes? É ótima – e uma tranquilidade que está vindo sei lá de onde, já que com as coisas que tem acontecido e com as que euestou tomando coragem pra fazer acontecer, eu devia estar com tudo menos tranquilidade. Mas, bom, melhor assim, definitivamente.

A quaresma finalmente está acabandooooooooo!!!!! /o/

E ufa, por último, uma frase que eu havia guardado há um certo tempo, e reencontrei agora… e agora ela fez todo o sentido.

Chi lascia la strada vecchia per la nuova sa quel che lascia, ma non sa quel se trova

(Algo como “aquele que troca o caminho antigo pelo novo sabe o que está deixando pr atrás, mas não sabe o que vai encontrar“. E de verdinho, já que hoje é St. Patrick’s Day ;D )

(O St Patrick foi comemorado dia 15 esse ano, na verdade, mas enfim)