jump to navigation

E sendo água, amor, querer ser terra Monday, May 24, 2010

Posted by Ágata in "Querido Diário", Poesia.
trackback

Hoje acabou-se-me a palavra,
e nenhuma lágrima vem.
Ai, se a vida me acabara
também.

A profusão do mundo, imensa,
tem tudo, tudo – e nada tem.
Onde repousar a cabeça?
No além?

Fala-se com os homens, com os santos,
consigo, com Deus… E ninguém
entende o que se está contando
e a quem…

Mas terra e sol, luas e estrelas
giram de tal maneira bem
que a alma desanima de queixas.
Amém.

– Cecília Meireles

Eu até tinha tanta coisa pra escrever. Escrever, pensar, escamurfar, virar do avesso, desfazer e fazer de novo, ver por todos os lados possíveis, analisar todas as propriedades, pra poder tomar posse. Tomar posse e aceitar. Mas eu não quero isso, não ainda, ainda não tenho coragem, ainda não tenho como. Em breve, eu espero. Mas não ainda. Essas coisas pra mim sempre levam tempo, que é sempre o tempo necessário, e também não tem porque ser um tempo maior que isso, mas ainda assim é difícil. Não tem que ser extremamente complicado, mas ainda assim é difícil. E ainda assim leva tempo.

Acho que você sabe como é.

Advertisements

Comments»

No comments yet — be the first.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: