jump to navigation

Dream a little dream of me Wednesday, September 2, 2009

Posted by Ágata in "Querido Diário", Textos aleatórios.
trackback

E eu fico toda feliz porque, apesar de ter feito caquinha na hora de guardar a tal da gelatina (“liberada, pode comer a hora que quiser, como sobremesa ou nos lanches”) (claro, tinha que ser com a coisa mais melequenta), a comida ficou gostosa e, pro meu espanto, foi comida pra caramba e amanhã é só esquentar, e as aulas de alongamento e de yoga são legais, e puxar ferro é chato pacas mas nem é tão insuportável assim, agora que meu corpo não parece que voltou da guerra no dia seguinte. E eu me sinto bem andando na rua mesmo que seja só pra ir até o mercado – a vitória pra mim vem em forma de arroz integral *em saquinhos* – e por mais que eu me atrapalhe e não saiba escolher comida (só enlatado) e tenha desejos absurdos consumistas e precise tirar um tempo pra arrumar o quarto, ainda assim, eu ando tão easy-going, que até as preocupações são apenas… tão reais, mas tão distantes.

Semana que vem tem uma leitura dramatizada de alguns contos do livro nas Casas Casadas de Laranjeiras, e ter tanto evento e babafá assim em cima do livro é algo que me deixa nas nuvens. Tanto que eu até esqueci de comprar o JB de domingo passado, onde saiu uma matéria de três páginas sobre sebos falando do Clube, com entrevista minha falando do “Eu que não aprendi a dizer adeus” e do Rudá e da Poliana. E eu releio contos que eu escrevi, os antigos e os não-tão-antigos, e penso no que mais escrever, em quais outras histórias montar, em como eu tenho conseguido colocar sentimento neles mesmo que não sejam exatamente os meus…

E eu tenho tanta coisa pra estudar, e comecei hoje a refazer e fazer minha gramática e achei um site que eu espero que melhore meus writting skills, e alguns trabalhos chatinhos mas que eu já até sei como vou fazer, e tenho planos de ajustar meu horário a essa coisa confusa que é meu organismo e meus horários mais produtivos, e com isso eu me cobro menos e tive hoje mais tempo pra ler, pra olhar pela janela, pra jogar fora o lixo.

E, não sei. Ando me sentindo tão alegremente mundana e simples. Simples porque parece que mesmo as coisas que deveriam ser complicadas são fáceis, e com uma certeza de que eu vou saber lidar com elas seja lá o que venha a acontecer, porque no fim, tá tudo bem. Eu posso fazer isso hoje, eu posso deixar isso pra amanhã. O que vem pela frente é incrível. Eu vou fazer o que quer que tenha lá na frente ser a melhor coisa do mundo. E aí eu sinto o futuro tão bom que posso simplesmente deixar ele lá, pra acontecer só mais pra frente quando tiver que acontecer, sem encanar com nada por hoje. Só porque hoje não é sábado, como o poema diz, e pra mim nem bem era quarta-feira, que eu to na cabeça que é terça não me perguntem porque, mas ainda assim, hoje é um bom dia.

Minha sorte de hoje diz: Do something good for someone today.

Eu até posso dizer que fiz. Pra mim. Pro meu dia inteiro.

Eu, sei lá, ando tão estranhamente e gostosamente feliz, por mais que a vida inteira não seja só de felicidades, que quase dá medo de que essa vida gostosa acabe.

Mas ai eu penso que, se acabar, eu consigo de novo.

Mesmo que isso acabe resoltando em posts tão estranhos e aleatórios que nem esse aqui ^^

Advertisements

Comments»

No comments yet — be the first.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: