jump to navigation

Quand je rêve c’est de toi Thursday, August 27, 2009

Posted by Ágata in Lembranças, Textos aleatórios.
trackback

Foi bem estranho.

Não sei se já comentei aqui ou se tenho essa impressão simplesmente porque é uma coisa que eu sempre acabo falando com as pessoas, mas eu sempre sonho com rostos conhecidos. Mesmo que seja só pra fazer figuração ou que sejam pessoas que eu conheço pouco. Claro, eu não consigo preencher todas as vagas de gente pra estar no sonho com pessoas conhecidas (XD), então tem pessoas que eu não conheço, mas geralmente eu nem reparo nelas porque elas não tem relevância pro que tá acontecendo naquele sonho.

Mas aí tem esses casos estranhos em que a pessoa que está comigo no sonho inteiro é alguém que eu não conheço. Quer dizer, eu conheço, mas no sonho. Não é da “vida real”.

Hoje foi um desses. Eu não consigo me lembrar direito da cara do garoto, só lembro que era… estranhamente conhecida. Acho que me lembra vagamente uma pessoa ou outra que eu já conheci, mas não o suficiente pra poder dizer que era assim ou assado ou pra eu poder garantir que essa lembrança não é só uma necessidade de classificar e colocar as coisas numa área em que a gente já conhece pra se sentir mais confortável. Eu sei só que eu já conhecia aquele cara. E os amigos dele também, que pensando agora também eram pessoas desconhecidas, mas quando acordei achava que eles eram conhecidos do ‘lado acordado’. Talvez sejam mesmo e eu me esqueci quem são. Sonho tem essas coisas.

Mas o outro eu sei que não conhecia. Não me lembro de terem falado o nome dele durante o sonho. Sei que tinha o quarto da casa lá de SP (a da vila mariana), e depois um quarto estranho, uma mulher loira estranha, e um parque de diversões e depois um esgoto. Me lembro bastante do parque de diversões. Porque nem era bem um parque de diversões, era mais um lugar onde a gente tinha que ir e, enquanto esperava alguma coisa acontecer, o menino e os amigos dele resolveram ir num raio de uma montanha russa que ia, voltava, tinha looping e o caralho a quatro. A parada é: eu morro de medo de montanha russa.

(especialmente as que tem looping – nunca fui em uma – e só de pensar numa que dá looping DE COSTAS, puts… eu sempre tive medo dos brinquedos que iam pro alto e giravam e colocavam a gente de cabeça pra baixo. Não me pergunte porquê. Quando era criança, só ia neles se meu pai fosse do meu lado)

E eles entraram na montanha russa, eram quatro. Quer dizer, eu era a quinta. E o carrinho era meio diferente, mas obviamente só tinha lugar pra quatro. Então eu fui num de trás, que estava vazio. E quando eu estav ano carrinho vazio e aquilo começou a tremer, eu falei que ia sair. Que eu não ia naquilo. Que eu morro de medo daquele troço. E o menino vira pra mim com uma cara de “não acredito que você tá pensando em fazer isso” e eu digo pra ele que eu maénunca que vou andar naquele negócio.

E ele dá aquele suspiro de quem pensa “ai ai, só ela mesmo”.

E sai lá do carrinho da frente.

E vem pro meu.

E senta do meu lado e fala “agora você vai, não vai?”

E eu vou, de olhos fechados, naquela infinidade de looping e giro e coisa. De olhos fechados, claro, mas quando chega no fim, eu consigo virar, pegar na mão do garoto do meu lado e dizer “é, nem foi tão ruim, né?”

Depois tinha a coisa do esgoto e de máscaras, que ele me pedia pra desenhar qual seria a máscara dele e eu não desenho. E falava que então ele ia ter que desenhar qual seria a minha máscara, e ele falava algo do tipo que “a sua máscara vai ser do jeito que você quiser que seja”. Mas ainda assim insistia na dele. Talvez, se eu tivesse desenhado, conseguiria me lembrar melhor do rosto dele. Ou talvez eu fosse lembrar só da máscara que eu tinha desenhado pra ele.

Acho que no fim, eu acabo preferindo pessoas sem máscaras.

Mas acho que o pior desses sonhos com pessoas que eu conheço-mas-não-conheço é que eu fico pensando se, algum dia, vou encontrá-las de novo, do lado de cá. E também se, no dia em que isso acontecer, eu vou reconhecer que é uma pessoa que eu já vi em algum lugar. Mesmo que só em sonhos.

Talvez sim, pela pequena quantidade de pessoas que quando eu conheci foi como se já conhecesse há muito tempo.

Ou ainda talvez tenha sido só um sonho estranho, que não quis dizer nada.

Advertisements

Comments»

1. Yuukale - Thursday, August 27, 2009

Máscaras e esgoto ? É O OMOLU !!!!!!!!!!!


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: