jump to navigation

[insira um título aqui] Friday, July 24, 2009

Posted by Ágata in "Querido Diário".
trackback

E eu fico pensando em tantas coisas, vendo tantas variáveis, descobrindo motivos que eu preferia não admitir que tenho, imaginando situações e hipóteses que eu nunca sei se vão ser boas ou não, sentindo como eu não sentia há muito tempo. The impossibility, the impossibility.

E vejo um baralho com runas do lado, e enquanto o computador liga eu vou embaralhando sem pensar – ou pensando nesse tudo que eu nunca consigo alcançar – e embaralho e embaralho, e corto as cartas, e tiro uma buscando por uma luz qualquer que me ajude e que contenha qualquer signo que eu possa decifrar, reconhecer, no qual eu possa me espelhar ou usar como um espelho pra ver coisas distantes. Busco uma lente mágica que me ajude a colocar meus pensamentos em foco, assim como os óculos novos vão me ajudar a colocar em foco minha visão. Porque meus pensamentos vão tão embaralhados, ganhando em cor mas perdendo em fronteiras, quanto meus olhos com a miopia e astigmatismo.

E eu puxo uma carta em branco.

E encaro a carta em branco.

E passarei o resto da noite pensando na carta em branco, enquanto ouço músicas que ouvia desde criança e enquanto busco, como criança, algum refúgio pra que acalentar.

Advertisements

Comments»

No comments yet — be the first.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: